A Creche Irmã Chiquinha, entidade  educacional beneficente criada e mantida pelo Centro Espírita Ana Vieira, comemora neste mês de maio 20 anos de fundação. A creche foi inaugurada no dia 25 de maio de 1994, data de nascimento de Deisy Passos Sanches, neta de Francisca Siqueira Bicudo (Chiquinha), que foi a fundadora do Centro Espírita Ana Vieira.

Deisy foi presidente do CEAV por muitos anos e mentora do projeto da criação de uma entidade em benefício de crianças carentes, tendo desencarnado antes da
inauguração da creche.

No final dos anos 80, Deisy alertava os tarefeiros do Centro Espírita Ana Vieira para
a necessidade de criação de outras obras assistenciais, além daquelas que a casa
já atuava. Entre as ideias mais sugeridas, estava a criação de uma entidade destinada
a crianças carentes ou um asilo para idosos.

Numa reunião com todos os tarefeiros do CEAV, realizada no dia 22 de setembro
de 1989, foi decidido que o novo projeto seria o de uma creche, uma vez que cuidar
de idosos exigiria esforços financeiros muito maiores, em razão da necessidade
de investimentos na área de saúde. Neste mesmo dia, formou-se uma comissão de
trabalho, que foi dirigida por Walter Roberto Areias, esposo da tarefeira Maria Aracelis
Areias, que já tinha coordenado um grupo para a construção do atual prédio sede do
Centro Espírita Ana Vieira.

A partir desta reunião, a comissão iniciou os trabalhos para que o projeto se concretizasse. Uma antiga casa à venda foi encontrada na rua Professor Raul Briquet, 220, bem próxima do Centro. Com os esforços de Walter e de Eduardo de Luca, esposo da tarefeira Anna de Luca, a casa foi comprada no dia 21 de dezembro de 1989 para logo depois ser demolida. A ideia era a construção de um novo prédio, com espaços projetados exclusivamente para receber
crianças, uma vez que a antiga residência no local era formada por pequenos cômodos.

Já muito doente, Deisy chegou a conhecer a casa adquirida, mas já estava afastada das atividades do Centro, tendo inclusive passado a presidência do CEAV para Armindo Gonçalves.

Para que as obras da creche fossem finalizadas, a comissão trabalhou intensivamente
promovendo eventos para arrecadar fundos, buscando recursos para que o projeto saísse de acordo com o planejado. Por sugestão de Deisy, a creche recebeu o nome de Creche Irmã Chiquinha, numa homenagem à fundadora do centro espírita, mas a inauguração foi programada para acontecer no dia de aniversário de Deisy, numa homenagem da comissão à mentora e incentivadora do projeto.

Para que a creche se beneficiasse de incentivos públicos, foi criada o Centro de Assistência e Promoção Social Ana Vieira (CAPSAV), organização filantrópica sem fins lucrativos que administra entidade até hoje.

A Creche Irmã Chiquinha iniciou suas atividades atendendo apenas nove crianças com menos de um ano de idade. Com o passar dos anos, o número de crianças foi aumentando gradativamente, sendo que atualmente recebe 147 crianças de seis meses até quatro anos de idade. Desde a sua fundação, a creche já formou 1.310 crianças.

Há 20 anos a creche é dirigida de forma voluntária por Walter Roberto Areias, sempre com o apoio das também voluntárias Assunta Valéria Baroni Russo e Maria Aparecida Sartori Sigollo, sem deixar de mencionar a contribuição relevante de Lúcia Dal Bello Rollo e de Maria Dolores Sanches Blanes, todas integrantes da comissão de fundação e tarefeiras no Ana Vieira.

Desde o início da instituição, eles são os “anjos-da-guarda” da entidade, coordenando todas as atividades semanais da creche, sempre na condição de voluntários. Para Walter Areias, mais conhecido na entidade como tio Walter, “é chegar na creche e saber o que é um beijo de uma criança, um aperto de mão, um abraço. Essa gratificação não tem dinheiro que possa pagar”. Recentemente, durante uma reunião na creche, Walter lembrou de uma das primeiras crianças atendidas e que, este ano, procurou a creche na condição de gestante para solicitar uma vaga para o seu futuro bebê. “Hoje, 20 anos depois, já estamos começando a receber os primeiros filhos das crianças que ajudamos a formar nos primeiros anos de fundação”.

Considerada uma das creches modelos da cidade de São Paulo, a Creche Irmã Chiquinha é muito requisitada por mães carentes que necessitam de um local para deixar seus filhos durante o horário em que trabalham. As crianças permanecem em regime de semi-internato, de segunda à sexta-feira das 7:00 às 17:30 horas. Além de educação moral e pedagógica, recebem refeição durante todo o dia. Apesar do número crescente de crianças atendidas, a creche não tem condições físicas e financeiras de atender a demanda. A falta de vagas em creches é um problema social que está longe de ser resolvido no país.

A manutenção mensal da Creche Irmã Chiquinha exige esforços constantes. O Centro Espírita Ana Vieira transfere doações recebidas dentro de suas possibilidades, mas são os eventos promovidos durante o ano que minimizam o déficit financeiro para a manutenção da creche. Por este motivo, a entidade depende de ações de caridade e da responsabilidade social de todos!

Por Moacyr Passos.